• Subscribe to our feed
  • Subscribe via mail
Shopping Boulevard

27.02

Mais uma vez teremos um papo de viagem escrito por um amigo convidado do blog. Da última vez tivemos um post assinado pela querida Patricia Uébe Mansur Connor, que relatou sua viagem à cidade de Fredericksburg, no Texas, e a experiência no Enchantes Rock State Park  (veja AQUI).

__________________________________________________________________________________

Desta vez o papo é com o meu amigo Felipe Tilio, cara dos mais viajados que eu conheço. Toda vez que mando uma mensagem pra saber como está ele está voltando de alguma viagem ou se preparando pra ir pra algum lugar. Desse jeito!

Prepare-se que o relato dele é de quem entende da coisa. E sinceramente achei maravilhosa todas as suas abordagens, com as dicas exatas que buscamos quando vamos viajar. E o destino de Felipe foi  Bogotá, na Colômbia.

Vamos viajar com ele…

Catedral Primada na Plaza Bolívar (Foto: Meridith Kohut para The New York Times)

Por Felipe Tilio

Fora do circuito óbvio, Flórida/ NY/ Paris e Milão, Bogotá, capital da Colômbia, com seus 8 milhões de habitantes, é uma cidade repleta de encantos, mas em geral pouco conhecida dos brasileiros.

Talvez a cidade com o clima mais agradável da América do Sul, localizada a 2.600m de altitude na porção norte da cordilheira dos Andes, no braço oriental da mesma, com temperatura oscilando entre 12 e 17 graus e máximas que raramente ultrapassam os 20 graus durante todo o ano.

Na prática, um “ar condicionado à céu aberto” apesar de estar a poucas centenas de kilômetros ao norte da linha do Equador.

Isso sem falar no custo de vida bastante em conta, mesmo considerando a última desvalorização do real.

As principais atrações, todas no centro histórico da cidade: Museu Botero (gratuito), Plaza de Bolívar e Museo Del Oro.

Imprescindível também a subida no plano inclinado (~30 reais), o Cerro de Monserrate, de modo a desfrutar do visual mais bonito da cidade!

Plaza de Bolivar. Texto e fotos: Felipe Tilio

Vista do Cerro de Monserrate, o visual mais bonito da cidade.

Bogotá dispõe de uma ampla estrutura de hotéis, com preços bem convidativos. As grandes cadeias, em sua maioria, presentes na cidade não ganham em nada para os hotéis locais independentes, como por exemplo o Hotel Rosales Plaza, localizado na badalada Zona G, bairro encantador repleto de bons cafés e restaurantes.

Aí se encontra o refinado restaurante El Cielo, do criativo chef JuanMa, e o recém inaugurado hotel Four Seasons Castanyolas, que também possui um café-restaurante bem interessante.

Outro bairro no mesmo padrão é a Zona T, com seu sofisticado comércio (Burberry, Zara, Cartier, Coach, entre outras) e amplas ruas arborizadas. Nele se encontra o restaurante Club Colômbia, especializado em comida típica colombiana. Não deixe de provar as “carimanholas’, bem como as empanadas locais.

A Colombia em geral é muito rica gastronomicamente. E por ser a capital do país, Bogotá concentra a culinária de todas regiões, o que explica a grande diversidade gastronômica da cidade.

Também próximo, outro restaurante que vale a visita é o Bistrô El Bandido, que apesar das 3 filiais, o original é de longe o mais charmoso. Fica um pouco escondido em uma transversal da Carrera 7, numa pequena rua repleta de antiquários (Calle 79b).

Se não consegue ficar sem uma massa, o La Fabbrica – no Parque la 93 – é a pedida.

Depois dessa viagem, fica difícil retornar para o nosso verão abrasador.

Para os amantes das frutas, Bogotá e o país em geral, é um paraíso. Diversas frutas tropicais são vendidas em todos os cantos da cidade. Artesanato com bom preço na feira de Usaquén.

As paletas de Bogotá são um espetáculo à parte. E claro que meu amigo não esqueceu de registrar quando se deparou com uma gelateria artesanal com meu nome.

Dicas:

– Cambio: Troque reais no aeroporto Eldorado, mas utilize o câmbio fora do desembarque, no hall externo, depois que passar pela alfândega. Aí pode-se conseguir o câmbio a mais ou menos 650 pesos por real.

– Comida: Só como referência, um almoço pra dois, regado a um bom vinho Pinot-noir e com o melhor creme brulèe do mundo de sobremesa, fica por 200.000 pesos, no El Bandido (algo em torno de R$ 300).

– Compras: Tem também um outlet para quem não consegue voltar sem um tênis novo. Fica no caminho do aeroporto: o Aules de América.

– Artesanato com bons preços: feira de Usaquén ou tendas próximas ao Museu do Ouro.

– Fora de Bogotá: catedral de sal de Zipaquira (meio dia para a visita) onde avista-se uma das casas de Pablo Escobar no caminho.

_________________________________________________________________

Amei as dicas e as experiências de Felipe (Obrigada, amigo!!). E como ele já viajou bastante neste início do ano e certamente tem outras mais previstas, esperamos contar com mais de suas dicas!!

comente!