• Subscribe to our feed
  • Subscribe via mail
Shopping Boulevard

29.08

Estive no Rio para os Jogos Olímpicos Rio 2016 e claro que não deixaria de visitar o Boulevard Olímpico do Porto Maravilha, na Praça Mauá, o novo cartão postal da cidade maravilhosa, que está bombando.

E como sei que vai continuar funcionando, com suas atrações, até o final da Paralimpíada (de 7 a 18 de setembro), queria deixar essa dica para quem estiver no Rio neste período.

Que visual incrível, né?! Veja o mapa do Boulevard aqui.

Sente a muvuca, sente a energia!! (Foto: Estúdio Retrato)

O objetivo do Boulevard Olímpico é oferecer aos cariocas e turistas uma maratona de diversão e conhecimento, durante a #Rio2016. Tornou-se o point nas Olímpiadas e o feito promete se repetir na Paralimpíada.

O espaço conta com a Pira Olímpica – um dos pontos mais fotografados -, food trucks, Balão Panorâmico da Skol, palco para shows, telões (com transmissão simultânea dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos), o painel Etnias, além daquele fervo que o carioca gosta, entre outras coisas.

Boulevard Olímpico no fim de tarde de uma quinta-feira de Olimpíada

No fim de semana que estive no Rio para as Olimpíadas fui duas vezes no Boulevard Olímpico, na primeira com a família e amigos e cheguei à tarde, por lá nos estendemos até o início da noite, mas não conhecemos tudo. (pode preparar a perna, hein!!)

Minha dinda, família, amigos… Pequena parte da nossa turma curtindo a tarde olímpica.

Já da segunda vez fui com minhas amigas Patrícia e Fabiana à noite, após o primeiro tempo da final do Futebol Masculino, que consagrou o Brasil medalha de ouro!! Ficamos lá até mais tarde. Pensa numa festa…

Ir nestas duas ocasiões foi bom para ver que está super tranquilo visitar o local à noite, embora seja bem no Centro do Rio, área considerada mais perigosa à noite. Tudo graças ao esquema de segurança das Olimpíadas, portanto, não dá para garantir esta segurança no período fora dos jogos.

Em outro dia, à noite, com minhas amigas Fabiana e Patrícia com Leo.

Agora vamos às fotos do passeio… (Aqui neste post tem mais)

A Pira Olímpica, a maior atração do Boulevard, está pela primeira vez instalada fora de um estádio olímpico. Localizada em frente à Igreja da Candelária, a ideia é proporcionar uma oportunidade única de todo o público estar perto e fotografar este ícone dos jogos.

E claro que fotografamos!!

A Pira Olímpica com a Igreja da Candelária ao fundo. Lindo cartão postal da #Rio2016

Selfie com a família em frente à Pira.

Também tem a Pira Olímpica no estádio do Maracanã ( que eu vi bem de pertinho), mas ela não fica acesa. Postarei fotos em um outro post.

Painel Etnias – Na Gamboa está o maior grafite do mundo. O painel, de 2500 m², é assinado pelo muralista Eduardo Kobra, que tem trabalhos espalhados por mais de 20 países. A arte foi inspirada nos aros olímpicos que representam os 5 continentes.

Este foi o único lugar do Boulevard Olímpico que não consegui visitar, mas na Paralimpíada voltarei porque com certeza merece.

O mural tem 15 m de altura e 170 m de comprimento, localizado no trecho de mais de três quilômetros restaurado, no centro do Rio.

A magnitude da obra garantiu o título de maior grafite do mundo feito em equipe, pelo Guiness World Records, o livro dos recordes. A equipe levou 70 dias para pintar a obra de cerca de 2,6 mil metros quadrados que retrata cinco etnias indígenas dos cinco continentes.

A obra faz uma referência às origens dos povos, atletas e visitantes, presentes no Rio de Janeiro para os jogos olímpicos e paralímpicos oriundos de todas as regiões do planeta.

Na praça da Pira Olímpica há dois telões onde são transmitidos ao vivo os jogos. Olha (abaixo) a multidão assistindo a final do Futebol Masculino, aguardando o pênalti do Neymar pra depois gritar: É ouroooooo!!!

No vlog que gravei pro canal tem toda a emoção deste momento, veja: https://youtu.be/T4s2PImGGSw

Logo ao lado da Pira Olímpica fica o Balão Panorâmico da Skol, onde os visitantes podem subir a 150 metros de altura e ver o Rio de Janeiro por um ângulo diferente. Os cadastros para a visita são feitos aqui.

(Foto site oficial)

No Palco Encontros se apresentaram grandes nomes da música brasileira em parcerias inusitadas. Além das transmissões oficiais das competições, todos os dias, ao vivo. Há uma programação de shows também para o período dos Jogos Paralímpicos.

O palco fica localizado em frente ao Museu do Amanhã, uma obra monumental (projeto do arquiteto espanhol Santiago Calatrava), e graças à sua beleza a caminhada por ali fica ainda mais agradável. Estive no local à noite, estava lotado, e, apesar de estar muito escuro,  valeu muito a pena.

Mas com certeza de dia o passeio é bem mais bonito e digno de belíssimas fotos. Fica a dica!

Mesmo à noite é lindo o Museu do Amanhã, construído na zona portuária.

Aquela foto básica pra registrar!

E toda a beleza do Museu de dia, pra não restar dúvidas.

Gravei um vlog da minha temporada olímpica, vem ver tudo aqui neste vídeo.

Aperte o play!!

comente!

28.08

Oi gente!! Só agora consegui parar pra contar pra vocês como foi minha temporada olímpica na Rio 2016.

Que festa linda, que cidade maravilhosa, que recepção desse povo abençoado. O Rio estava com uma energia incrível. Ficará pra sempre na memória de todos os cariocas e turistas, especialmente os brasileiros, com certeza.

Quem se permitiu viver um momento sequer das Olimpíadas, mesmo pela TV, sabe disso. A festa mundial do esporte reacendeu a chama e nos faz acreditar que podemos mais. Só não podemos desistir, afinal de contas, brasileiro não desiste nunca. (Leia aqui o Aviso aos Gringos)

Gravei um vlog pra vocês com cenas de tudo que curti, inclusive o jogo que assistimos no Maracanã (minha primeira vez no Maraca vai render post, com certeza!!). Resumi meus 4 dias das Olimpíadas num só vídeo pra vocês acompanharem. Ia dividir em dois, mas fiquei com receio de vcs não curtirem, então fui editando editando até conseguir ficar um só …

Aperte o play e vem comigo 🙂

Não é inscrito no canal? Então vem logo, gente!

Vou dar um spoiler! No vlog tem de tudo um pouco…

Tem nosso passeio no Boulevard Olímpico, com direito a registro da Pira Olímpica, claro! Fiz um post só sobre o Boulevard, veja aqui.

Espírito olímpico da família e amigos.

Sobrinhas lindas Julinha e Pietra, com a camisa temática das Olimpíadas (medalha de ouro) que levei pra elas.

Tem a emoção do jogo no Maracanã, junto das minhas amigas irmãs.

O Triatlo Feminino em Copacabana, que nós assistimos de camarote…

Como torcemos, como vibramos, como demos risada!!

Com meus amores na prova de triatlo!

Toda a festa, a curtição e a alegria em Copacabana. Como eu amo esse bairro!!

Patrícia, Fabiana e toda alegria e irreverência de Copa.

Também mostrei a Megastore Rio 2016, montada em plena areia de Copacabana.

Vinicius, o mascote fofo que todo mundo queria levar pra casa. Pena do preço salgado, R$ 100 o pequeno.

A Megastore vista da calçada.

Não acabou, gente. Vem aí a Paralimpíada, não deixe de viver esta emoção repleta de exemplos de superação.

Já comprei meus ingressos e vou contar tudinho pra vocês.

Animem aí, e vamos também… Só não esqueçam o  tênis, hein!! A gente anda muito nas instalações olímpicas.

Bora?

comente!

21.08

Aviso aos gringos #Rio2016

Aviso aos gringos 

Aqui nós aplaudimos o sol.
Batemos palmas para qualquer atleta de verde e amarelo (até pros australianos).
Torceremos sempre para o país mais fraco.
Vamos vaiar sempre qualquer atleta argentino, só pela curtição, mas depois nos abraçaremos.
Amamos biscoito O Globo.
Odiamos que falem mal dele.
Nosso cafezinho no copinho plástico é puro amor e sabor, aprecie essa cortesia sem moderação.
Americanos, uma das poucas coisas que funcionam bem aqui é a polícia federal, então cuidado.
Alemães, estamos com o 7X1 engasgado…
Franceses, não chorem… visitem o Cristo que passa.
Temos dívidas milionárias, mas esquecemos de todas ao ver um atleta entre os 5 melhores do mundo.
Bronze para nós vale ouro.
Prata pra nós vale ouro.
Ouro é delírio!
Só nós podemos falar mal de nossos atletas.
Não temos incentivo no esporte, mas mesmo assim nossos atletas fazem milagre.
Resumindo: Isso é Brasil!
Não use com moderação.
Aqui tem coração.
Somos Brasileiros com Muito Orgulho, com Muito Amor!

#rio2016 #somostodosolímpicos

No Maracanã, jogo de futebol feminino nas Olimpíadas Rio 2016 (detalhe da Pira Olímpica linda)

Salvar

comente!

27.02

Mais uma vez teremos um papo de viagem escrito por um amigo convidado do blog. Da última vez tivemos um post assinado pela querida Patricia Uébe Mansur Connor, que relatou sua viagem à cidade de Fredericksburg, no Texas, e a experiência no Enchantes Rock State Park  (veja AQUI).

__________________________________________________________________________________

Desta vez o papo é com o meu amigo Felipe Tilio, cara dos mais viajados que eu conheço. Toda vez que mando uma mensagem pra saber como está ele está voltando de alguma viagem ou se preparando pra ir pra algum lugar. Desse jeito!

Prepare-se que o relato dele é de quem entende da coisa. E sinceramente achei maravilhosa todas as suas abordagens, com as dicas exatas que buscamos quando vamos viajar. E o destino de Felipe foi  Bogotá, na Colômbia.

Vamos viajar com ele…

Catedral Primada na Plaza Bolívar (Foto: Meridith Kohut para The New York Times)

Por Felipe Tilio

Fora do circuito óbvio, Flórida/ NY/ Paris e Milão, Bogotá, capital da Colômbia, com seus 8 milhões de habitantes, é uma cidade repleta de encantos, mas em geral pouco conhecida dos brasileiros.

Talvez a cidade com o clima mais agradável da América do Sul, localizada a 2.600m de altitude na porção norte da cordilheira dos Andes, no braço oriental da mesma, com temperatura oscilando entre 12 e 17 graus e máximas que raramente ultrapassam os 20 graus durante todo o ano.

Na prática, um “ar condicionado à céu aberto” apesar de estar a poucas centenas de kilômetros ao norte da linha do Equador.

Isso sem falar no custo de vida bastante em conta, mesmo considerando a última desvalorização do real.

As principais atrações, todas no centro histórico da cidade: Museu Botero (gratuito), Plaza de Bolívar e Museo Del Oro.

Imprescindível também a subida no plano inclinado (~30 reais), o Cerro de Monserrate, de modo a desfrutar do visual mais bonito da cidade!

Plaza de Bolivar. Texto e fotos: Felipe Tilio

Vista do Cerro de Monserrate, o visual mais bonito da cidade.

Bogotá dispõe de uma ampla estrutura de hotéis, com preços bem convidativos. As grandes cadeias, em sua maioria, presentes na cidade não ganham em nada para os hotéis locais independentes, como por exemplo o Hotel Rosales Plaza, localizado na badalada Zona G, bairro encantador repleto de bons cafés e restaurantes.

Aí se encontra o refinado restaurante El Cielo, do criativo chef JuanMa, e o recém inaugurado hotel Four Seasons Castanyolas, que também possui um café-restaurante bem interessante.

Outro bairro no mesmo padrão é a Zona T, com seu sofisticado comércio (Burberry, Zara, Cartier, Coach, entre outras) e amplas ruas arborizadas. Nele se encontra o restaurante Club Colômbia, especializado em comida típica colombiana. Não deixe de provar as “carimanholas’, bem como as empanadas locais.

A Colombia em geral é muito rica gastronomicamente. E por ser a capital do país, Bogotá concentra a culinária de todas regiões, o que explica a grande diversidade gastronômica da cidade.

Também próximo, outro restaurante que vale a visita é o Bistrô El Bandido, que apesar das 3 filiais, o original é de longe o mais charmoso. Fica um pouco escondido em uma transversal da Carrera 7, numa pequena rua repleta de antiquários (Calle 79b).

Se não consegue ficar sem uma massa, o La Fabbrica – no Parque la 93 – é a pedida.

Depois dessa viagem, fica difícil retornar para o nosso verão abrasador.

Para os amantes das frutas, Bogotá e o país em geral, é um paraíso. Diversas frutas tropicais são vendidas em todos os cantos da cidade. Artesanato com bom preço na feira de Usaquén.

As paletas de Bogotá são um espetáculo à parte. E claro que meu amigo não esqueceu de registrar quando se deparou com uma gelateria artesanal com meu nome.

Dicas:

– Cambio: Troque reais no aeroporto Eldorado, mas utilize o câmbio fora do desembarque, no hall externo, depois que passar pela alfândega. Aí pode-se conseguir o câmbio a mais ou menos 650 pesos por real.

– Comida: Só como referência, um almoço pra dois, regado a um bom vinho Pinot-noir e com o melhor creme brulèe do mundo de sobremesa, fica por 200.000 pesos, no El Bandido (algo em torno de R$ 300).

– Compras: Tem também um outlet para quem não consegue voltar sem um tênis novo. Fica no caminho do aeroporto: o Aules de América.

– Artesanato com bons preços: feira de Usaquén ou tendas próximas ao Museu do Ouro.

– Fora de Bogotá: catedral de sal de Zipaquira (meio dia para a visita) onde avista-se uma das casas de Pablo Escobar no caminho.

_________________________________________________________________

Amei as dicas e as experiências de Felipe (Obrigada, amigo!!). E como ele já viajou bastante neste início do ano e certamente tem outras mais previstas, esperamos contar com mais de suas dicas!!

comente!